• Hot

Atenção: Contém material impróprio para menores de 18 anos. A autora não se responsabiliza por nenhum dano que a leitura possa causar. Nem mesmo o blog, ou quaisquer participante dele. Como individuo a escolha de continuar a leitura é apenas de responsabilidade sua.

Aqui na fazenda estava uma loucura. Minha mãe não sabia o que cozinhar, então fazia todas as receitas que conhecia; já meu pai assegurava que a propriedade estava bem cercada e protegida com seus altos muros de concreto e câmeras de ultima geração; os empregados corriam de um canto a outro conferindo se estava tudo em ordem e muito limpo. O motivo de todo essa agitação? Meu primo, estrela mundial, Liam James Payne, que estava vindo passar um tempo em um lugar calmo e relaxante, longe de todos e de tudo. Esse lugar era  a fazenda da minha família.

Eu e Liam nunca nos falamos muito, só nos víamos nas reuniões de família. E olhe lá! Ele ficava com meus outros primos, e eu ficava com minhas primas. Nunca tivemos um contato apenas entre nos dois. E até onde eu sabia, ele e sua família não tinham também muito contato com meus pais, mas mesmo assim minha fazenda foi escolhida como o lugar que ele passaria suas duas semanas de férias.

– Patrão! Ele já está chegando. – gritava alguém nos jardins.

Minha mãe obrigou que eu e todos os funcionários ficássemos do lado de fora para recepcionar o convidado. Estávamos todos parados enfrente ao portal da casa principal quando o carro prata, provavelmente muito caro, parou enfrente a nós. Liam saiu sozinho do carro e veio cumprimentar meus pais. Na minha vez ele me olhou de cima a baixo, parando para me analisar, logo resolveu beijar minha bochecha.

Os primeiros dias de Liam em casa se resumiam nele dormindo todo o dia e acordando apenas pra comer. Entretanto, logo Liam resolveu interagir mais com as pessoas da casa. Eu me mantinha afastada dele, sempre que ele tentava se aproximar de mim, eu dava um jeito de escapar. Algo nele me deixava desconfortável. Eu sabia que um dia não teria mais como escapar dele.

Hoje era o quinto dia desde a chegada de Liam, eram umas dez horas da noite, meu primo já havia subido pra dormir, meus pais estavam se arrumando para sair com minha avó paterna – algo sobre um baile de terceira idade –, os empregados já estavam dormindo há tempos. Eu estava no meu quarto assistindo desenho, quando meus pais apareceram na porta.

– Já vamos querida, iremos voltar tarde, então nada de nos esperar. – mamãe cantarolava feliz. E nessa felicidade eles se foram.

Acho que uma hora após a saída de meus pais alguém bateu em minha porta, antes que eu pudesse falar algo, a mesma foi aberta. Liam entrou, de pijama, sem convite.

– Seus pais me mandaram ficar de olho em você, pra você não ir dormir tarde.

– Ok. – respondi sem prestar atenção nele.

– Está sem sono? – afirmei com a cabeça – Quer conversar? – dei de ombros. – Lembra da vez que o Nate jogou seu urso na piscina?

E assim começou a conversa entre eu e Liam. Falamos sobre nossa infância, e de nossas estórias de adolescentes. Liam por ser três anos mais velho do que eu, tinha mais a contar. O papo era agradável e após algum tempo caímos em nossas intimidades. Logo estávamos conversando sobre os nossos relacionamentos, Liam falava do namoro recém-terminado, e eu apenas ouvia. Eu tinha namorado uma vez, mas não tinha muito o que contar sobre isso. Liam dizia que tinha terminado por não ter tanto tempo para um relacionamento sério, mas que tivera vários casos de verão. Eu não sei quando o assunto virou sobre sexo, mas a pergunta de Liam me surpreendeu.

– Prima, você é virgem?

Vendo que eu fiquei sem reação, Liam disse que aquilo ficaria só entre nós. Eu, já um pouco embriagada pelo sono, respondi que não era virgem. A partir daqui o assunto foi ficando mais picante, e meu sono ia sendo esquecido. Com a evolução do assunto, pude notar um volume se formando nas vestes de Liam, que também estava sentado na minha cama, notei também que ele tinha uma de suas mãos espalmadas em uma das minhas coxas, já bem próxima a virilha.

Liam me contou algo engraçado sobre Harry ter brochado uma vez, eu ri. Antes que eu pudesse terminar de rir, senti uma pressão sobre meus lábios, Liam tinha me beijado. Um beijo que foi se tornando profundo e erótico. Meu primo passava as mãos sobre minhas coxas e barriga. Quando paramos pra recuperar o fôlego, percebi que estava deitada com Liam sobre mim. Ele colocou o dedo sobre os lábios, indicando que eu fizesse silêncio, se levantou e trancou a porta, apagou as luzes do meu quarto e voltou para cama. Deitou-se sobre mim e iniciou um novo beijo, mas quente que o primeiro.

Durante o beijo ele subiu minha camisola, retirando-a, e colocou minha calcinha de lado, passando os dedos entre meus lábios vaginais. Ao mesmo tempo em que ele me acariciava retirei sua bermuda, sua blusa e sua cueca, fazendo seu pênis saltar aos meus olhos, me impressionando pelo tamanho e grossura. Fui descendo pelo seu peitoral e barriga, sempre dando beijinhos, mordidas e lambidas, até chegar a seu membro, iniciando um oral. Com cuidado, fui virando meu corpo encima de Liam, deixando a entender que queria um 69. Liam entendeu o recado, começou a me chupar com vontade. Enquanto me chupava, ele colocou um dedo na entradinha da minha vagina e começou a passa-lo de cima para baixo, chupando meu grelo o que me deixou louca e gozei pela primeira vez da noite.

Eu estava por cima e vendo aquele membro apontado para o teto, não resisti, perguntei a ele se tinha uma camisinha, ele respondeu que não. Então me levantei da cama e fui até meu armário, pegando um pote roxo escondido entre minhas roupas, de lá retirei alguns preservativos. Voltei e eu mesma coloquei-a. Coloquei meus joelhos um de cada lado dos quadris de Liam, com cuidado fui descendo meu corpo, até encaixar sua glande na minha entrada, fui introduzindo seu membro devagar, aproveitando cada pedacinho dele possível. Quando coloquei tudo, sentei nele e fiquei fazendo movimentos de pra frente, pra trás; sempre ao olhar atento de Liam.

Meu primo sugeriu que trocássemos de posição, queria que eu ficasse de quatro, fiz o que ele queria. Ele se posicionou atrás de mim e foi colocando seu pênis todo de uma vez, já bombando com força e rapidez. Uma de suas mãos foi indo em direção ao meu grelo, começando uma brincadeira com o mesmo. Senti seu pênis estufando dentro de mim, e ele acelerou os movimentos, tanto do pênis quanto o da mão. Chegamos ao orgasmo junto e sem produzir nenhum som alto durante a transa, apenas gemidos baixos e abafados.

Eu ainda não estava satisfeita com meu desempenho durante a relação, eu tinha mania de perfeição. E jurava que não tinha tido um desempenho bom. Por isso, peguei o pênis de Liam, meio amolecido, retirei a camisinha e comecei a chupa-lo, sempre de olho nas expressões do meu primo. Ao sentir o membro dele endurecer de novo, alternei os movimentos entre a língua, minhas mãos e minha boca, em velocidades e intensidades diferentes. Liam gemia meu nome de olhos fechados, aquilo me deixava satisfeita. Senti seu pênis pulsar, avisando que ia gozar. Aumentei a velocidade dos meus movimentos, meu priminho não aguentou e começou a gozar na minha boca, engoli na medida do possível, e limpei com os dedos o que ficou pra fora.

Ao terminar, deitamos lado a lado, antes que pudéssemos adormecer, Liam percebeu pela programação da TV que já era bem tarde, ficou preocupados com a chegada de meus pais e então colocou seu pijama de novo. Mas, antes que ele pudesse sair do meu quarto, eu o chamei.

– Liam, diga-me, como é transar com sua prima de 16 anos? – ele riu e saiu do quarto, me deixando com um sorriso bobo e malicioso no rosto.

Agora eu sabia que aquele meu desconforto de está na presença de Liam, era apenas tesão reprimido. Meu ultimo pensamento antes de dormir foi se o que aconteceu hoje se repetiria…

——-

Escrito por: Meeg Lima 

Achou algum erro? Me informe através do Twitter ou por aqui.

Postado em: 24.01.2014 · 7 notas · Reblog · Like
24, Janeiro de 2014
notes: 7
  1. 1dpreferences-br publicou esta postagem