Há 2 dias
0 notas
Heeeeeeyyyyyyyyy :D

des

Há 2 dias
4.361 notas

braverytattoos:

Louis drawing on everyone (except for Harry)

Há 2 dias
4.573 notas
Há 3 dias
10 notas

Pregnancy - Your Choose

*(S/f) - Seu favorito.

Nono mês de gestação. O último mês de gestação. O que eu mais deveria ficar agora nesses dias era calma. Segundo minha médica, a qualquer hora, lugar ou dia minha “bolsa” iria estourar e meu bebê viria ao mundo. Já havia conversado com meu marido. Sobre o que eu havia conversado? Sobre justamente isso. Que a qualquer hora eu poderia entrar em trabalho de parto, para que ele não se desesperasse na hora de me levar ao hospital. E que também não deixasse que a bicha interior dele despertasse e ele desmaiasse em meio a sala de parto. Gosto de brincar com ele dizendo que se não estivéssemos casados a cinco anos, se nossa vida sexual não fosse bem ativa e ele não tivesse me feito um filho, eu poderia dizer que ele é homossexual. É hilária a cara de indignado que ele faz quando digo isso. É simplesmente hilária. As vezes choro de tanto rir. Mas voltando ao assunto, se isso acontecesse. Por isso adiantei as coisas, já falei bem antes para ele se controlar. Eu brinco com toda essa situação mas, na verdade, eu estou bem nervosa. Meu primeiro filho. Não sei como vai ser. Se meu corpo vai reagir normalmente e permitir que eu tenha meu filho de forma natural ou não contribuir muito e eu irei ter que fazer uma cesariana. Bom e o ruim do parto normal é que você sente muita dor mas não fica com nenhuma cicatriz, diferente do outro método. Se bem que com o avanço tecnológico, muitas coisas são beneficiadas na medicina e sempre tem o melhor meio. E para falar a verdade, por mais que eu vá sentir dor, eu gostaria que meu parto fosse normal, sem nenhuma agulha com anestesia em mim ou um bisturi me cortando. Estava sentada no canteiro acolchoado que tinha a janela, observando a neve cair. Vi a vizinha da frente, Mackenzie, de 27 anos, entrar as pressas com seu filho Jared, de seis anos em casa. Olhava atentamente Jared todo encapuzado, certamente por conta do frio que fazia lá fora, não muito diferente de sua mãe. Foi olhando o filho de Mackenzie que comecei a pensar no meu. E tudo isso que disse ai em cima, me veio à cabeça. Estava distraída em meio aos meus pensamentos quando ouvi passos na escada e vejo um jovem adulto, no auge de seus 28 anos, vestindo uma blusa branca e uma calça de moletom cinza, descer por ela, piscar para mim e adentrar na cozinha. Mesmo com todo o tempo que estamos juntos, ainda sinto um friozinho na barriga em relação a ele. Eu não estava muito diferente dele. Vestia meu pijama ainda, e tinha minhas pantufas de coelho em meus pés que ele fazia questão de me zoar por elas. Levantei dali e segui seus passos bem devagar até a cozinha. A minha barriga estava enorme, e fazia que quando eu caminhasse, fosse de forma lenta, pois me atrapalhava de certo modo, se é que me entende. Ele não gostava muito que eu caminhasse por ai, me proibiu até de ir ao super mercado ou qualquer outro lugar, mesmo que estivesse acompanhada, tinha medo que algo me acontecesse. Que eu caísse ou algo do gênero. E não foi só agora com meus nove meses de gestação, a partir do sétimo que começou. Não vou mentir, eu gosto dessa proteção e cuidado que ele tem comigo e o bebê, mas isso não significa que eu vá ficar parada, não mesmo. Sempre dava um jeito de fazer alguma coisa, nem que fosse ajudar a empregada com a casa. O que ele odiava. Por ele, eu passava o dia todo deitada na cama assistindo TV. Mas ele sabe que eu não faria isso, não conseguiria. Continuei caminhando pacientemente até a cozinha, quando cheguei na mesma, encontro ele no balcão devorando um dos sanduíches que eu havia preparado e deixado na geladeira, sei que parece estranho mas gosto assim e acabei fazendo com que ele gostasse também.

- O que foi? - Me pergunta.

- Nada. - Disse simplesmente. Mas convenhamos, é claro que havia algo, só não queria deixá-lo preocupado.

- Eu te conheço tempo o suficiente para saber que, quando você diz “Nada”, sempre há alguma coisa. Vai, desembucha. - Disse ele, não pude deixar de rir pela ultima frase.

- Parece até uma fofoqueira falando assim. - Disse eu entre leves risadas. Recebi um olhar repreendedor dele que, também estava gesticulando com as mãos para que eu continuasse a falar. - Eu só estou pensando na hora do parto. - Disse com a voz um pouco mais baixa. No mesmo instante ele levantou, limpou suas mãos na folha de papel toalha que tinha sobre o balcão e se dirigiu até a mim.

- Amor, - Disse ele com a boca ainda um pouco cheia e colocando suas mãos em cada um de meus ombros. - não se preocupe. - Terminou de engolir e continuou a falar. - Quando chegar a hora, irá dar tudo certo, acredite em mim. Tudo ficará bem, você vai ver. - Me puxou cuidadosamente para um abraço desajeitado por conta do tamanho da barriga. - Eu acredito amor, eu acredito. - Ficamos ali naquela posição meio desengonçada até que sinto um líquido escorrer por minhas pernas e uma forte dor vir em seguida, o que me fez desfazer o “abraço” e me curvar diante a dor que eu sentia. Ai meu Deus, chegou a hora.

- Amor? O que foi? - Me perguntou levemente preocupado.

- Amor, chegou…

- Chegou o que?

- A hora.

- Hora de que?

- Do bebê!!

- Do bebê?

- O BEBÊ TÁ NASCENDO, POR FAVOR FAÇA ALGUMA COISAA!!! - Disse desesperadamente, já sentindo a dor aumentar.

- OMG!! OMG!! O QUE EU FAÇO? VOCÊ ‘TÁ BEM? OMG!! EU VOU SER PAI!! - Dizia ele andando de um lado para o outro.

- Da para você fazer alguma coisa? PEGA A DROGA DA BOLSA DA MATERNIDADE QUE ESTÁ LÁ NO QUARTO!!! EU ESTOU ÓTIMA, NÃO ESTÁ VENDO? NÃO ESTOU ME CONTORCENDO DE DOR, ESTOU TENTANDO DANÇAR TANGO! E SE VOCÊ CONTINUAR ASSIM, VOCÊ NÃO VAI SER PAI, VOCÊ VAI SER UM HOMEM COM UMA PANTUFA DE COELHO ENTALADA NA GARGANTA. - Meus nervos estavam a flor da pele, a dor estava insuportável e meu marido não estava ajudando muito. Parecia até que o que ele tinha dito minutos atrás não iria se concretizar, como eu estava pensando. Além de mim, ele estava surtando. Estava todo atrapalhado. Depois desse meu pequeno ataque histérico, pude ver ele subir as escadas rapidamente e em seguida descer a mesma já com a bolsa em mãos. 

- Okay, aqui está a bolsa. O que eu faço agora? 

- Vamos pro carro!! - Disse tentando manter a calma. A culpa já começava a chegar sobre minha mente, me fazendo me arrepender por ter gritado com ele. Após dizer sobre o carro, ele pegou a bolsa, se dirigiu até o hall de entrada da casa e pegou um casaco no espaço que deixávamos reservado para guardar casacos de inverno. - Okay, pode deixar que eu vou indo sozinha, nos encontramos lá. - Disse ironicamente tentando não rir por ele ter esquecido de me ajudar a ir para o carro.

- Ah, me desculpe, me desculpe. - Dizia ele desesperado. - Amor, se acalma. - Cortei ele. - Tem rasão, me desculpe, prometi que não ia surtar quando a hora chegasse e não é exatamente isso que eu estou fazendo. Okay, é melhor você ficar aqui por conta do frio que está la fora enquanto eu tiro o carro da garagem. - Dito isso, saiu em disparada. Caminhei lentamente até o sofá e sentei-me. Isso não parece nem um pouco normal. Eu, grávida, com a bolsa estourada, sentindo contrações e a dilatação aumentar ter que ficar sentada esperando para ir para o hospital. E se eu ligasse para o hospital pedindo uma ambulância? Sim. Eu poderia ligar mas algo veio em minha mente, a neve fez com que as linhas telefônicas caíssem. Por que o (S/f) está demorando tanto? 

(Seu mino)’s P.O.V.S

 A ansiedade e o desespero tomavam conta de mim. Quanto mais rápido tentava fazer as coisas, mais atrapalhado ficava. Passei pela cozinha saindo da mesma pela porta que dava acesso a garagem. Quando acionei o controle remoto do portão da garagem, este não queria funcionar. Meu desespero só aumentou, foi ai que constatei que a neve poderia ter interditado. Ai Senhor, o que eu faço? Voltei para dentro de casa e encontrei (S/n) no sofá da sala, pela sua cara, não estava muito bem. Respirava fundo e apressadamente ao mesmo tempo. Contei a ela o imprevisto e expliquei de forma rápida que não teria como tirar toda aquela neve enfrente ao portão da garagem de forma rápida. Entramos em desespero. Quer dizer, eu entrei. Novamente. Foi em meio ao meu desespero que lembrei-me de algo, ou alguém. Mackenzie. Ela era ginecologista obstetra ou qualquer coisa do gênero, mas serviria. Sai em disparada pela porta principal, que por sorte não estava tão amontoada por neve, correndo em direção a casa de Mackenzie. Depois que consegui chamá-la, as pressas, voltamos para casa e cuidadosamente levei (S/n) para o quarto. Ela teria o bebê ali. O marido de Mackenzie, Fred, havia vindo junto conosco, e me ajudou a pegar e preparar algumas coisas que ela disse que precisaria. A porta do quarto foi trancada e nós dois ficamos no andar de baixo, aguardando. 

Fred me dizia para manter a calma, mas era impossível. (S/n) estava a horas naquele quarto, e a cada nova hora que se formava a agonia em mim aumentava. Ele tentava me distrair me contando como foi sua vez, quando Jared estava nascendo, juro que estava tentando prestar atenção, mas não estava conseguindo. A unica coisa que queria saber era se (S/n) e o bebê estavam bem. Estava quase me descabelando quando ouvimos um choro fraco de bebê vindo do andar de cima. Nos levantamos imediatamente. Subi a escada na velocidade mais rápida possível, sendo seguido por Fred. Bati inúmeras vezes na porta, já que a mesma estava trancada, e o que recebi em troca foi Mackenzie dizendo algo como “Você já vai ver seu filho”! Minutos passados e fomos “permitidos” adentrar o quarto. Quando entrei, presenciei a cena mais linda que já havia visto na vida. (S/n) estava com o nosso pequeno nos braços, amamentando. Aproximei-me e admirei encantado a cena. Sentei na cama. E continuei a olhar. Com certeza minha cara deveria estar hilária, pelo fato de eu estar todo abobalhado. Também pudera, finalmente meu homenzinho havia nascido. Mackenzie e Fred saíram do quarto, dizendo que nos deixariam aproveitar o bebê e que ainda estariam na sala. Fiquei ali por muito tempo ainda, mas depois me retirei, para que (S/n) e o bebê pudessem descansar. Agradeci ao casal que me esperavam na sala e nos despedimos. Mackenzie me recomendou o que deveria fazer por aquela noite e que voltaria no dia seguinte. Arrumei umas coisas na sala e na cozinha e subi para tomar banho. Devagar, adentrei o quarto, encontrando os dois dormindo. Era tão linda a cena que senti um aperto no coração. Com cuidado, fui pegar minha roupa e sai do quarto, indo para o de hóspedes. Seria melhor ficar lá para não incomodá-los. Tomei meu banho e depois deitei-me e passei a refletir sobre o quão feliz estava agora que havia me tornado um pai.

Há 3 dias
0 notas
to correndo na esteira para ver se aprendo a correr para o show da 1D

xmeegs

Há 3 dias
0 notas
bom, vou ali me matar uns 40 minutos na esteira D: D:

xmeegs

Há 3 dias
47.837 notas
Há 3 dias
0 notas
[ATT] Lista de Imagines atualizada.

xmeegs

Há 3 dias
0 notas

Me shipa? Sou feia bléhhh

———————————-

amoooor, não veio foto, nome, nada. Dá uma dica de como você quer. 

1) Mande o seu nome nas ask e eu shippo com um garoto;
2) Mande a foto + seu nome ou apelido + 3 características suas no submit e eu shippo, faço shipper, conto como se conheceram a roupa que usaram.
3) ou como você quiser, só especificar. 

xmeegs

Há 3 dias
0 notas
[ATT] Lista de One Shots atualizada.

xmeegs

Há 3 dias
3 notas
Estou pensando em postar uma outra fic minha aqui, o que vocês acham? Só dar LIKE, nem precisa mandar ask.

Se concorda com a ideia: LIKE
Se NÃO concorda: olha e dá uns mortais pro lado (: -nnn

xmeegs

Há 3 dias
1 nota
harry-is-perfect2 asked: Já que estamos no clima de pascoa, poderia fazer um preference por escrito que voce e o mino fazem ovos de pascoa dentro de casa ? e os enfeitam depois e tal ....e fazem a maior zona na cozinha rsrsrsrsrrsrsrs ...

Eu já ia usar o tema Páscoa mesmo ADUIGASIDG, sou meio chata com datas. Ano Novo, Natal, Carnaval… eu fiz um monte de coisas por aqui ;-;

Bom, posso faze-lo e transforma-lo em um one shot? 

xmeegs

Há 3 dias
0 notas
[ATT] Lista de Ouftis atualizada.

xmeegs

Há 3 dias
0 notas
harry-is-perfect2 asked: sim sim kkkkkkkkk ... eu lembro desse comercial por isso q li cantando kkkkkkkkkkkkkk ... amore tenho um pedido pra fazer *U* .. pode falar ? :3 :3

manda ae

xmeegs

Há 3 dias
0 notas
vou ajeitar umas paradas do blog mas podem falar comigo de boas

xmeegs